domingo, 14 de junho de 2009

Transcrição de matéria publicada no site do nosso amigo Anchieta.

Vejamos alguns paradoxos no meio evangélico no Brasil:

1) No meio protestante é mais fácil acolher e ajudar um pecador que se converte, do que um crente que veio a pecar, sendo que ambos são igualmente humanos.

2) No meio protestante coloca-se o tempo como pré-requisito para se ocupar determinado cargo eclesiástico, anulando e/ou sumprimindo com isso outras características (mais importantes), como o preparo bíblico/teológico, habilidades administrativas, compromisso sincero com Deus, além da própria vontade de Deus.

3) No meio protestante, em algumas igrejas, devem as mulheres usarem sempre saia (ou vestido), sendo que prefere-se a uma saia curta do que a uma calça.

4) No meio protestante, em algumas igrejas, condena-se a prática de esportes, notadamente o futebol, incentivando assim o descuido com o próprio corpo, que é o templo do Espírito Santo.

5) No meio protestante se incentiva os membros a serem leais a sua nação (Estado), contribuindo com os impostos, prestando o serviço militar em seus devidos caracteres, etc., mas se censura o ato de torcer pela pátria em algum esporte.

6) No meio protestante, em algums igrejas, não se censura o fato do membro vir a ser um comilão (fazem até piada com isso na maioria dos casos), mas se um membro vier a ingerir um copo de vinho que seja, o mesmo é imediatamente taxado de beberrão e pecador.

7) No meio protestante, em algumas igrejas, promove-se abertamente rifas e outras modalidades de sorteios (formas do termo popular ‘jogo’), sempre de forma onerosa e sem contribuição alguma para o fundo social comum, mas censura-se o membro que concorre a sorteios em jogos legalizados (loterias da Caixa, por exemplo).

Um comentário:

Anchieta Campos disse...

Concordo com o que esse Anchieta escreveu!!

eXTReMe Tracker