terça-feira, 27 de outubro de 2009

Poesia "LABIRINTO"

Labirinto

Me deleitarei nas coisas efêmeras?

Me consolará a bondade?

Me encantará o eterno?

Me afligirá a verdade?


Me debruçarei sobre coisas eternas?

Me martirizará o que tem?

Me externará o que interno?

Me conquistará o que vem?


Me transformará a prece?

Me esfriará a partida?

Me engolirá minha quimera?

Me abarcará esta vida?


Me diminuirá a palavra dita?

Me fortalecerá o partir?

Me perseguirá a mentira?

Me destruirá o cair?


Me engrandecerá a palavra não dita?

Me fatigará o saber?

Me possuirá o que fenece?

Me bastará o viver?


Me machucará o descobrir?

Me irritará a discrepância?

Me agradará a solicitude?

Me aliviará a ignorância?


Me irritará a maldade?

Me enfraquecerá a cobiça?

Me cegará o fraco?

Me corromperá a justiça?


Me intimidará a ira?

Me possuirá o furor?

Me ensinará a paixão?

Me matará o amor?


Gláuber Ferreira


(Reprodução sem fins lucrativos está autorizada desde que citada a fonte)


EXPLIQUE ISSO!


2 comentários:

Gladys Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gladys Ferreira disse...

Glauber, sua poesia é visceral! muito intensa nos sentimentos que expõe, nos levando a pensar sobre a vida e sua efemeridade. Parabéns!
beijão, meu lindo!

Gladys

eXTReMe Tracker